Neurologia Veterinária

Neurologia Veterinária
Ressonância para neurologia veterinária
Doberman Tomografia
A neurologia veterinária é a especialidade que diagnostica e trata as doenças que acometem a medula espinhal, cérebro (encéfalo), nervos e músculos em animais domésticos e selvagens.
Neurologia Veterinária

Os principais sinais de doenças neurológicas são:

  • Fraqueza (paresia) ou paralisia (plegia), com paraplegia e paraparesia sendo os mais comuns,
  • Incoordenação (ataxia)
  • Crises epilépticas ou convulsivas (convulsões)
  • Problemas com equilíbrio (sinais vestibulares)
  • Inclinação da cabeça (orelha caída)
  • Face caída
  • Tremores
  • Alterações comportamentais como andar compulsivo, desorientação, agressividade
  • Claudicações
  • Dor na coluna cervical ou tóracolombar

As doenças neurológicas mais comuns em cães e gatos são:

  • Doença do disco intervertebral (hérnia de disco, extrusão ou protrusão)
  • Epilepsia idiopática
  • Meningoencefalites (meningites, encefalites, mielites) de causas variadas
  • Tumores cerebrais, da medula espinhal e de nervos
  • Síndrome Vestibular idiopática
  • Otite média-interna
  • Síndrome da cauda equina (estenose lombossacral)
  • Síndrome de wobbler (espondilomielopatia cervical)

Para diagnosticar esses problemas neurologistas veterinários usam vários recursos diagnósticos como:

  • Radiografias (raio-X)
  • Tomografia computadorizada (TAC)
  • Ressonância magnética
  • Análise de líquor (líquido cerebrospinal)
  • Mielografia ou mielo-tomografia
  • Exames eletrodiagnósticos como eletromiografia, potenciais evocados e eletroencefalografia
Ressonância para neurologia veterinária
Doberman Tomografia
Para os interessados em aprender neurologia é importante entender a diferença entre neurologia e outras especialidades.
É comum ouvir dizer que Neurologia é muito difícil e complicada. Este dogma tem se disseminado e talvez por isso a neurologia é frequentemente deixada por último plano nos currículos acadêmicos. O fato é que a neurologia não é mais difícil ou mais fácil que outras especialidades, mas requere, diferente de outras áreas, que se aborde o paciente iniciando pelo fundamento mais importante da neurologia clínica que é a localização de lesões. Quando se aborda o paciente suspeito de ter um problema neurológico com um exame rápido e diagnósticos pré-concebidos, equívocos diagnósticos são comuns. Não adianta ter o melhor recurso diagnóstico possível (p.ex. ressonância magnética) quando não se sabe a região a ser examinada. Portanto para que se obtenha sucesso no diagnóstico e tratamento de problemas neurológicos é fundamental que o processo inicie pela localização das lesões, evoluindo então para diagnósticos diferenciais e seleção dos testes diagnósticos mais apropriados. Dessa forma a probabilidade de sucesso no tratamento dos problemas neurológicos é muito mais alto. Como diz o ditado “o melhor tratamento é um diagnóstico correto”!